quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Supernatural Thing


Media ideológica

Contrariamente ao que afirma "Le Monde", a esquerda dos países ocidentais é atravessada pelos debates violentos em torno do Islão e do multi-culturalismo. Na edição de 18 de Novembro, o suplemento Ideias do Mundo, reportou a violenta disputa da media ideológica entre Charlie Hebdo e a Mediapart. Uma clivagem que o jornal designa como "uma guerra francesa da esquerda". O jornal referiu as teorias do historiador Sudhir Hazareesingh que considera os pensadores franceses "cada vez mais em declínio, auto-absorvidos, irracionais, neuróticos e alérgicos à diferença". Assegura que esse confronto entre a esquerda e a esquerda multi-cultural seja "um pouco desanimador", uma coisa típica francesa. No Reino Unido existe "um multi-culturalismo de facto que não é contestado pela direita ou a esquerda e não há a tentação de demonizar abertamente essa minoria. Hazareesingh dificilmente reconhece que alguns à esquerda estão "um pouco perdidos " como Tariq Ramadan na França e no seu país. "Muitos vivem com a ilusão de que a integração das minorias étnicas terá o mesmo destino que a coexistência pacífica dos grupos religiosos na Holanda", afirmou o sociólogo Paul Scheffer que é membro do Partido Trabalhista Holandês. Na Dinamarca, a esquerda é atravessada por novas divisões, especialmente após o caso das caricaturas de Muhammad. O autarca Thomas Gyldal Petersen, social-democrata e ex sindicalista, acredita que controlar a imigração é a melhor forma de reconquistar os eleitores e evitar que municípios como os seus se tornem guetos. O democrata americano Mark Lilla, professor da Universidade de Columbia, escreveu um panfleto intitulado The Once and Future Liberal, criticando o "fanatismo identidade", enquanto defesa das minorias étnicas e sexuais, e ter esquecido o bem comum. "Cidadania envolve direitos mas também deveres que mantêm um país unido",sublinhou. Em 1998, o falecido filósofo Ricard Rorty criticou sobre o "radicalismo cultural" do campus universitário americano.

Revistas

Vale a pena ler. Temos as habituais críticas a Donald Trump e o romance do par Jennifer Lopez e Alex Rodriguez fotografado por Mario Testino na Vanity Fair. Como de faz um nazi na The Atlantic. A cantora Ryanna na Vogue Paris clicada por Juergen Teller. E o número especial natalício da Monocle.

David Bowie

Em Outubro de 1973, o fotógrafo britânico Terry O'Neill recebeu uma chamada do então manager Tony Defries para filmar um artista com o nome de David Bowie que ainda não era um ícone da música. Foi a última aparição de Ziggy Stardust, o alter ego eléctrico do músico. Um público exaltado de amigos e fãs estiveram nessa noite no The Marquee em Londres. Quase 50 anos depois, o fotógrafo de 79 anos reuniu todas as suas melhores imagens num livro. "Bowie adorava Mick Ronson que era uma grande parte daquele Ziggy Stardust configurado. Era a sua música e seu som", diz Terry O`Neill à revista Interview. 

Documentos da CIA

Segundo os últimos documentos divulgados pelo Arquivo Nacional, o governo dos EUA queria planear ataques de bandeira falsa com aeronaves soviéticas para justificar a guerra com a URSS ou seus aliados. Os documentos desclassificados em torno do assassinato do presidente John F. Kennedy revelam ainda que agentes da CIA se encontraram em Paris com um funcionário cubano, a quem entregaram uma caneta esferográfica carregada de veneno, na esperança de assassinar o líder comunista Fidel Castro. Mas não tinham ideia de que a 5.000 milhas de distância - nesse mesmo instante - o presidente, John F. Kennedy, foi baleado e morto em plena luz do dia enquanto atravessava as ruas de Dallas, no Texas. (Via Newsweek)

O vídeo


A imagem

Um dos das alianças mais emblemáticos de Azedinne Alaïa com a cultura pop foram as roupas que criou para Grace Jones no filme A View to a Kill, um clássico Bond de 1985. Uma demoníaca, vestida de negro com capuz que tenta repetidamente matar o agente 007.

Azzedine Alaïa (1940-2017)

Com a morte de Azzedine Alaïa no sábado, o mundo das artes presta-lhe um tributo. Ele foi um dos últimos grandes costureiros. O legado do designer tunisino vai muito para além da moda, já que espalhou a sua energia em toda a esfera cultural. Sempre recusou obedecer a regras. Tecnicamente, as suas roupas misturavam seda com couro, tornando o último fundido e o anterior rígido, confundindo nossas percepções de física. Mas o impacto de Azzedine foi maior do que isso. Misturou a moda com a arte e a literatura, recusando-se a reconhecer qualquer fronteira entre as diferentes formas de arte, evitando assim a noção de hierarquia. E apesar de não falar inglês, conseguia de alguma forma, falar com todos. Julian Schnabel, que era muito amigo de Alaia, retratou-o numa pintura e escreveu um artigo sobre o lendário estilista. "Eu examinei o seu trabalho e tive o privilégio de vê-lo trabalhar nos últimos 25 anos. Azzedine Alaïa é uma artista. É um escultor que desenha com tesouras. Inventou materiais que certamente revolucionaram a forma como as mulheres olham e se vestem, e alterou tanto a maneira como vemos as mulheres como a maneira como elas se vêem".

Morrissey


Polémico

O polémico Morrissey, numa entrevista ao site de notícias alemão Der Spieger, afirmou que aqueles que relatam agressão sexual estão realmente apenas "desapontados" com o resultado de um "incidente". Referindo Harvey Weinstein, o cantor sugeriu que as vítimas "acompanham" uma situação antes de mudarem de ideia e alegarem que não foi consensual. "Mas se o incidente estivesse muito bem e conduzisse a uma carreira incrível não iriam mencionar isso", acrescentou. Sobre Kevin Spacey as alegações de Anthony Rapp sobre os avanços sexuais do actor quando ele tinha apenas 14 anos de idade disse: "Na minha juventude nunca estive em situações como essa. Se você estiver no quarto de alguém, tem que estar ciente de onde poderia levar. Parece-me que ele (Spacey) foi desnecessariamente atacado". Morrissey aborda o sexo subalterno na indústria da música. "Toda a história dos grupos- miúdos que ficam no hotel durante a noite no lobby - eles querem estar com esses grupos. Se você passar pela história da música, todos devem ser culpados de sexo com menores de idade, então você vai meter todos na prisão? "

terça-feira, 21 de novembro de 2017

David Lynch

David Lynch desenhou uma colecção de jóias intitulada Meditating Eye que apresenta motivos oculares em pulseiras, colares e botões de punho. Os lucros serão doados para a sua Fundação que trabalha para ajudar veteranos, pessoas sem-tecto e vítimas da violência doméstica através da Técnica da Meditação Transcendental que Lynch pratica há mais de 40 anos. Segundo o cineasta, ajudou o seu processo criativo que antes estava "cheio de preocupações e ansiedades". A colecção foi criada como um símbolo, incentivando todos os seres humanos a "aceder a esse oceano de consciência interior pura", disse o autor.

Detidos na Alemanha

Seis requerentes de asilo sírios suspeitos de serem membros do ISIS e planear um ataque contra um "alvo público" foram detidos numa operação de grande escala levada a cabo pela polícia na Alemanha. Os meios de comunicação locais informam que os suspeitos tinham visado um mercado de Natal. Cerca de 500 polícias participaram numa incursão conjunta em oito apartamentos nas cidades de Kassel, Hannover, Essen e Leipzig no início da manhã de hoje. A operação, liderada pela Hessen Criminal Police visava seis cidadãos sírios, entre 20 e 28 anos, que eram requerentes de asilo na Alemanha desde 2014-2015. Essas pessoas "são suspeitas de serem membros do grupo terrorista Estado Islâmico". Estão sendo investigadas por suspeita de planear um ataque "com armas ou explosivos" na Alemanha, segundo informou a polícia. Os serviços secretos alemães recentemente alertaram que o país provavelmente verá mais ataques terroristas.

Catarina Leitão

A galeria Carlos Carvalho inaugura no dia 25 de Novembro, a partir das 17 horas, uma exposição de Catarina Leitão com o título de Paisagem Instável. Desenho, pintura, escultura e instalação são os meios que a artista utiliza na sua proposta que transita entre o metafórico e o perceptivo.

Mais acusados

Stephen Bittel, presidente do Partido Democrata da Florida, renunciou ao cargo na sexta-feira depois de seis mulheres se queixaram de um comportamento "assustador" e "degradante". Segundo o Politico as mulheres "não queriam estar sozinhas com ele devido à linguagem corporal e observações sugestivas como comentários sobre os seus corpos. O poderoso presidente era apoiado por democratas como o senador Bill Nelson e a deputada Debbie Wasserman Schultz que fizeram uma declaração sobre o assunto. A demissão de Bittel poderá ter implicações a longo prazo para os Democratas da Florida, um partido que, mesmo antes do recente escândalo, tem lutado pela relevância num estado cuja política está cada vez mais dominada por republicanos. Não é o único político da Florida a ser acusado de comportamento inadequado. Um relatório recente do Miami Herald descreveu a cultura da legislatura da Florida como "madura para a exploração sexual". No início deste mês, o presidente do Conselho de Aprovação do Senado e o candidato governamental republicano Jack Latvala foram acusados ​​por seis mulheres de assédio e movimentos indesejados. Actualmente está está sendo investigado pelo Senado.

domingo, 19 de novembro de 2017

sábado, 18 de novembro de 2017

St. Vincent


A imagem

St. Vincent aparece assim no seu álbum MASSEDUCTION. O vídeo apresenta alguns humanóides futuristas e as pílulas ingeridas da Jetsons, dançando como bonecas eróticas. É o mesmo mundo hiper-real de vídeos como New York  e Los Ageless. "Eu acho que fala para um tipo muito específico de americanos. Há uma ansiedade americana, uma ansiedade exclusivamente americana. E adoro o uso da dança gestual. Há um arquétipo com o qual eu gosto de brincar. Mas esta é uma versão futura disso, onde os rostos das pessoas são azuis, assim como um universo paralelo, afirmou Annie Clark.

Berkshire Museum

O Berkshire Museum colocou à venda 40 pinturas na Sotheby's, incluindo dois Norman Rockwells, mas no último minuto uma decisão judicial interrompeu a venda, alegando que violaria fianças anteriores. A decisão do tribunal significa que será difícil retirar a venda com direitos totalmente claros sobre os títulos, embora o julgamento do tribunal seja reexaminado em Dezembro. Tanto a incerteza como a publicidade negativa circundante vão assustar os compradores e podem prejudicar o mercado. "Considere a situação do museu. Está numa zona fora do caminho do oeste de Massachusetts, não tem uma forte base de doadores locais e está executando défices insustentáveis. A instituição não é apenas um museu de arte. Também possui colecções de história e ciência natural. Ele quer ajudar a financiar esses outros programas tornar-se um marco de alta tecnologia. É certo que isso não reflecte as preferências de muitos amantes da arte na comunidade e não é exactamente a intenção original do museu. Mas o conselho do Berkshire Museum tomou a decisão de simplesmente mudar o foco, não para destruir a instituição. Muitos outros museus americanos passaram para a arte contemporânea ou apresentam arte para minorias e mulheres, ou para construir extensas exibições online. Nem todos estão felizes com essas decisões, mas isso geralmente não é um motivo para a intervenção da lei...." (Tyler Cowen-Bloomberg)

Burocratas chineses

Como relata o New York Post, o desfile anual da Victoria`s Secret, que está programado para se realizar em Xangai dentro de duas semanas, transformou-se numa crise diplomática internacional. Contará com Adriana Lima, Alessandra Ambrosio, Karlie Kloss e outras reconhecidas top models, mas os funcionários do governo chinês recusam-se a trabalhar com os produtores do show e a conceder os vistos aos blogers de moda e outros tipos de media que deveriam cobrir o evento. Os burocratas também resistiram obstinadamente a outros pedidos aparentemente rotineiros, como aprovar locais de filmagem para a equipe de TV. Os funcionários da Victoria's Secret na China só podem enviar comunicados de imprensa desde que sejam aprovados por funcionários do governo. "É um pesadelo para todos os meios de comunicação que tentam cobrir o evento. As empresas de TV estão gastando uma fortuna e nem sabem o que podem acontecer quando chegarem lá", dizem os organizadores.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Carlos Almaraz

 O Museu de Arte do Condado de Los Angeles apresenta uma exposição de Carlos Almaraz com o título de Playing Fire. Este artista , nascido na Cidade do México em 1941 é mais conhecido pelo seu trabalho como activista e muralista e como membro do colectivo Los Four que se inspirava no muralismo político de David Alfaro Siqueiros. Organizada tematicamente, a retrospectiva inclui mais de 60 obras vindas de colecções públicas e privadas. As telas são construídas com pinceladas dinâmicas, superfícies texturizadas e cores saturadas que remetem para o fauvismo. Almaraz, que emigrou ainda criança para os Estados Unidos com a família, estudou na Universidade Estadual da Califórnia, na Universidade Loyola Marymount e no Otis College of Art and Design. Na década de 60 mudou-se para Nova Iorque onde morou com os artistas Richard Serra e Nancy Graves. Mas, desapontado com a prática da arte conceptual e o Minimalismo da Costa Leste, decidiu voltar para Los Angeles. Lutou por impor a sua identidade latino-americana nos EUA e envolveu-se profundamente no movimento dos direitos chicanos de Cesar Chavez e da United Farm Workers. Também pintou murais para o Teatro Campesino de Luis Valdez. Morreu em 1989 devido a complicações relacionadas com a AIDS.

Falso?

Na noite passada, a leiloeira Christie’s vendeu por 450 milhões de dólares o quadro "Salvator Mundi" que dizem ser a última pintura de Leonardo da Vinci em mãos privadas. Mas há muitas questões - e duvidas sérias - sobre a autenticidade, restauração e proveniência da pintura. E ainda a identidade do vendedor que faz parte do grupo de oligarcas que exercem uma influência extraordinária nos assuntos globais. Trata-se do bilionário russo Dmitry E. Rybolovlev. O nome do comprador não foi revelado.

Mark Bradford

Pickett's Charge que se encontra no Hirshhorn (Washington DC) até 12 de Novembro de 2018 é a primeira exposição individual de Mark Bradford depois de representar os Estados Unidos na edição 57ª da Bienal de Veneza. A selecção foi feita pelo Departamento de Estado dos EUA. "Politicamente e socialmente, estamos no limite de outro precipício. Estou no meio de uma pergunta sobre o que somos como uma nação", afirmou o artista que neste novo trabalho se inspirou no cyclorama do século XIX do francês Paul Philippoteaux, actualmente em exibição no Gettysburg National Military Park, Pensilvânia. Descreve a carga final da Batalha de Gettysburg que os historiadores citam como o ponto crítico da Guerra Civil e, portanto, da história americana. Trabalhando com uma combinação de papel colorido e reproduções do original, Bradford transformou a imagem histórica de Gettysburg numa série de oito pinturas poderosas e abstractas. Ao cortar, rasgar e raspar as camadas, revela as texturas escondidas e as complexidades que espreitam logo abaixo da superfície.

Moralismos estúpidos

"A evolução do caso Kevin Spacey justifica que pensemos um pouco sobre aquilo que está a acontecer. Acima de tudo, importa perceber se estamos realmente a pensar — ou se nos limitamos a reproduzir, em equívoca euforia, aquilo que é voz do povo (a que deveríamos chamar voz dos media, de tal modo a noção de “povo” quase só aparece, nos nossos dias, instrumentalizada por discursos de avassalador simplismo político — sendo Donald Trump o protótipo dominante — que encontram um eco automático, irresponsável e irreflectido, em muitas linguagens de informação)....
. ..Difícil de pensar é também, por tudo aquilo que aqui apenas se resume, o enquadramento político do tribunal público que condenou Spacey — político, quer dizer, envolvendo a complexa vivência do colectivo e a incontornável irredutibilidade individual. Na verdade, os protagonistas encartados de tal tribunal, incapazes de qualquer pensamento político, confundem-se, muitas vezes, com os que reduziram Donald Trump a uma caricatura do mais anedótico e pré-histórico moralismo: mesma abordagem maniqueísta dos factos, mesmo apagamento da complexidade intrínseca de qualquer facto, mesma procura de encenação do mundo como um frente a frente de “anjos” e “demónios”. Em boa verdade, agora mais do que nunca, Trump deve estar agradecido a tão empenhados inimigos: se ele não conseguir consumar o seu trabalho de purificação da América (e do mundo), outros avançam — desde que seja possível contemplar Kevin Spacey a arder na crepitante fogueira da nossa inocência, está tudo bem". (João Lopes -Sound+Vision, uma das vozes mais lúcidas deste país)

Sies Marjan

A colecção para a Primavera/Verão 2018 da marca americana Sies Marjan tem cores dignas de lojas de doces. O designer é Sander Lak que trabalhou durante cinco anos com Dries Van Noten. Foi fotografada pela dupla Anuschka Blommers e Niels Schumm, dois dos nomes mais queridos da fotografia de moda contemporânea. Do elenco de modelos destaca-se Roberto Rosselini, filho de Isabella Rosselini, que já tinha protagonizado ao lado da sua mãe a campanha de Outono/Inverno 17 que Bruce Weber clicou.

Ignasi Monreal

O artista espanhol Ignasi Monreal inspirou-se em filmes, obras de arte digitais, subculturas britânicas e na mitologia para este seu novo projecto com a Gucci. As imagens vibrantes e surrealistas deste ilustrador e designer gráfico que surgiu nas revistas de moda impressionou Alessandro Micchele, o director criativo da marca italiana. Além de um catálogo digital, a campanha também será interactiva através das janelas da loja Gucci. Estabelecido em Londres, Monreal também assumirá as paredes de arte em Nova Iorque e Milão.

People

O cantor country Blake Shelton foi eleito o homem mais sexy do mundo pela revista People. Tem 41 anos, olhos azuis e 1,96 de altura.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Simple Minds


Ajuda russa

Sobre a Venezuela à beira do completo colapso financeiro, a Bloomberg relata que a Rússia concordou em reestruturar cerca de 3,2 biliões de dólares em obrigações pendentes. Embora os detalhes do acordo de reestruturação sejam escassos, ambos os lados informaram que o negócio difunde os pagamentos ao longo de uma década com o menor serviço de caixa exigido nos próximos seis anos. Vladimir Putin concedeu um sopro de vida a um aliado destruído por crises que está lutando para pagar os credores. O Ministério das Finanças da Rússia informou num comunicado que o pacto não cobre as obrigações da petrolífera estatal Venezuela SA com a sua homóloga russa Rosneft PJSC. "Os termos são flexíveis e muito favoráveis ​​para o nosso país", disse Wilmar Castro Soteldo, vice-presidente económico da Venezuela, aos jornalistas em Moscovo após a assinatura. Esta é a segunda vez que a Rússia concordou em reprogramar os pagamentos da dívida da Venezuela depois de admitir uma extensão no ano passado.

Mission 356

Numa zona industrial de Los Angeles, um antigo armazém construído em 1926  com 12.000 metros quadrados acolhe a galeria mais interessante da cidade. Perto da Baixa, surgiu a  356 S na Mission Road que é fruto de uma colaboração entre Gavin Brown, o poderoso galerista de Nova Iorque, a artista Laura Owens e Wendy Yao, o fundador de a livraria de arte Ooga Booga  que tem um espaço em frente do edifício. Funciona como uma casa informal da comunidade, espaço para eventos e exposições dinâmicas de artistas jovens e mais velhos. É um espaço informal onde há café, chá e refrescos com uma gigantesca mesa de jantar comum onde as pessoas se sentam e convivem.

Protestos

O protesto banalizou-se de tal maneira nos Estados Unidos que deixou de ter significado. Aparecem sempre uns idiotas à busca de cinco minutos de fama. Activistas anti-gentrificação de Los Angeles e Nova Iorque protestaram na inauguração  da exposição de Laura Owens no Whitney, considerando a artista e o seu galerista Gavin Brown  responsáveis do afastamento da classe trabalhadora dos bairros como Boyle Heights de Los Angeles com o seu espaço Mission 356. A Chinatown e o Harlem de Nova Iorque, onde começaram a surgir galerias de arte, também foram visados .Um grupo de activistas exibiu um cartaz que dizia "Laura Owens e Gavin Brown Fuera de Boyle Heights". Eu condeno a gentrificação, mas vamos ouvir o outro lado. "Respeito o direito das pessoas ao protesto de maneira segura e não violenta. Embora discordássemos da sua retórica e acusações, compartilhamos o objectivo de criar um mercado de habitação mais justo", escreveu Owens. Acusou também os manifestantes de intimidar e ameaçar a equipa da galeria Mission 356  e de se recusarem a participar num diálogo aberto sobre a crise da habitação da cidade. "Depois de se recusarem a dialogar, os manifestantes aumentaram as suas técnicas agressivas, distribuindo informações falsas sobre nós em contas anónimas das redes sociais e ameaçando os nossos funcionários e apresentadores, incluindo pessoas que fazem parte de comunidades vulneráveis. Fazemos as coisas em público. Temos um endereço, um número de telefone e estamos abertos a críticas. Recebemos insultos anónimos e ameaças de morte deixadas no nosso correio de voz. Acredito no que fazemos e em todos os artistas, músicos, artistas e escritores que apresentaram o seu trabalho na 356 que é uma comunidade artística", acrescentou Owens.

Laura Owens

No Whitney Museum of  American Art de Nova Iorque está até 22 de Fevereiro uma retrospectiva de Laura Owens que foi pioneira numa abordagem inovadora da pintura, tornando-se uma das artistas mais influentes de sua geração. A exposição inclui cerca de 60 obras criadas desde a década de 1990 até hoje. Surgiu na cena artística de Los Angeles em meados dos anos noventa, numa época em que críticos desvalorizavam a pintura. Radical, intensa, inteligente e inovadora é uma das minhas artistas preferidas . 

Boris Vian


Uma fraude

O projecto de Marina Abramović que arrecadou 2,2 milhões de dólares vindos na maioria de doações privadas para construir o seu centro de arte, segundo o New York Post foram gastos inteiramente em esquemas pouco claros e num modelo do arquitecto Rem Koolhas. "Os fundos foram criados não para a renovação em si, mas especificamente para os esquemas e o estudo de viabilidade", disse um porta-voz de Abramović ao Post. Na verdade, os eventos de Brooklyn e Londres no Outono de 2014, a artista cumpriu a sua promessa de recompensar os patrocinadores do projecto MAI com um abraço. Há um vídeo que mostra a artista (?) abraçando centenas de pessoas ao longo de três horas e meia na sede do Kickstarter, um dos patrocinadores, de Brooklyn. Bem...o Instituto de Marina, que considero uma maiores fraudes da arte contemporânea, não vai ser construído. Gostei deste comentário da Hyperallergic: "Enquanto isso, aqueles de nós que esperávamos ser recompensados ​​com uma visita ao palácio da arte de performance transcendental teremos de nos contentar com os macarons aromatizados por Abramović".